sexta-feira, 19 de maio de 2017

Lendas de Pedra 2 e suas poéticas visuais.

Por Fábio Fernandes

O processo de gravação do meu novo trabalho enquanto diretor de cinema experimental é o filme "Lendas de Pedra 2" no qual a narrativa se centraliza em lendas relacionadas as serras existentes no município de Lajes no Rio Grande do Norte. Desta forma aproveitei a ocasião para explorar  elementos da cultura brasileira na direção de arte. Observe:
Na cena em destaque uma criança se questiona porque a vasão de tanta importância de haver mitos e lendas. essa linha narrativa permite explorar de forma artístico-pedagógica  as possibilidades de sobreposição cultural. Na cena em destaque, a cenografia revela o nordeste brasileiro distribuído num curto espaço métrico (o quarto); Esse espaço portanto já denuncia a bricolagem cultural, de um lado um chapéu de frevo pernambucano e sua policromia que sugere a alegria do carnaval, do outro lado o chapéu soa meio que Godot do Becket, mas sobretudo faz alusão ao homem do sertão nordestino; Ao lado se apresenta um quadro com o lirismo geográfico que reflete a flora e paisagem local, mais abaixo da cena uma televisão de imagem "preto e branco" dá um sutil tom de nostalgia e resistência ao futuro tecnológico e globalizado, por fim, a cama está vermelha, o sangue, a paixão e os martírios do homem do campo re-significa a vivencia sertaneja cotidiana.
 O que dizer então do indígena que é citado no filme? Uma grande oportunidade pra expressar a importância histórica que o índio proporcionou ao longo do processo de transformação cultural brasileira.  
Por ultimo, analiso a temática  principal do projeto (A morte).  A poesia contida no verde, esboça o sentido do "continuar a caminhar"...  Em destaque, o detalhe no verde brilhante de uma manhã de céu nublado, que sugere tempos de fartura para o homem do campo sofrido e calejado pela vida diária e geográfica.

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Homenagem a Belchior - (Divina Comédia Humana)

Eis uma singela homenagem ao eterno ídolo da MPB Bechior. - Divina Comédia Humana.

Quando me transformei em Belchior

Por : Fábio Fernandes


Sabemos que mais um grande nome da MPB se vai desse plano terreno pra algum lugar da memória, isso é motivo de tristeza e ao mesmo tempo de reflexão sobre o ciclo da vida. No ano de 2012 no decorrer do curso de licenciatura em Teatro da UFRN na disciplina "Figurino e Maquiagem"  sob a coordenação do competente professor Sávio Araújo, me predispus a adentrar numa complexa pesquisa na construção do personagem "Belchiover", este que consistia num cover do cantor Belchior. Esses foram alguns registros do processo de transformação. 
Confira:




Os primeiros passos foram regrados a discussões sobre, e acerca da importância de criar o personagem. Muitas foram as divagações que circundavam o objeto de pesquisa.










 A construção do portfólio me desafiou a tentar usar a criatividade na elaboração mais próxima possível do personagem.



  


O memento do processo pelo qual utilizei a maquiagem,os adereços e o figurino selou o processo construtivo com uma dublagem no final da disciplina. Tanto esforço me rendeu nota máxima na matéria, porém o que mais levo de significante, foi o doar-se e aprender sempre com os desafios.

 






 Belchior vive!

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Fábio Fernandes canta o tema de "Lendas de Pera 2"

Pois é, enveredei modestamente na área da musica e aos poucos fui compondo alguns temas pra peças e filmes que montava. Nessa nova proposta artística criei a trilha sonora do filme experimental Lendas de Pedra, destaque para a musica "As almas dos vaqueiros", uma vez que não queria correr o risco de sofrer possíveis  empecilhos  devido a direitos autorais. Desta vez lanço o tema do segundo filme chamado "Lendas de Pedra", a canção fala poeticamente do sertão e suas características e vislumbramentos.

CONFIRA: 

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Tease de "Lendas de Pedra 2"


A Eloy CIA Teatral lança um "tease" de seu novo projeto de 2017. O filme "Lendas de Pedra 2". A proposta desse novo trabalho é enfatizar as lendas e mitos que relacionam as serras do interior lajense. 
Veja no vídeo em destaque:

domingo, 9 de abril de 2017

Odisseia de ìcaro - (Filme completo - 2013)

Quatro anos após a gravação do curta, o projeto de intervenção cinematográfica "Nós na Tela" disponibilizou o filme 'Odisseia de Ícaro', o qual teve a cidade de Lajes -RN como cenário para suas locações. O filme revela alguns nomes da arte local, esse sem dúvida foi um incentivo a produção artístico-cultural que cresceu significativamente no município potiguar. 

Confira o filme:



Ícaro é um apaixonado por fotografia que vive no sertão caatingueiro, por azar da vida ele se torna paraplégico e têm que enfrentar os conflitos internos que o cerca junto de sua família simples e os demais que o circunda.

Produção - Nós Na Tela
2013
Lajes- RN

terça-feira, 4 de abril de 2017

Influencias e presença da arquitetura renascentista no Rio Grande do Norte.

Por : Fábio Fernandes


ARQUITETURA CLÁSSICA - Não precisa ir além de nosso estado pra poder notar as características da arquitetura renascentista. Em Natal - RN O palácio da cultura (Pinacoteca) por exemplo, expressa traços lineares marcantes do estilo quinhentista. Características como "Simetria, Equilíbrio,Racionalidade, Proporcionalidade" marcam a nítida preocupação com a tônica matemática. A presença das linhas horizontais destacam o pensamento filosófico que liga o conhecimento do homem a razão, vindo desta forma a enaltecer o conhecimento humanista. O frontão triangular acima do prédio re-significa os valores da arte grega, pois evidencia formas com linhas poligonais, as janelas também, outrora os portais principais vislumbram com autoridade a forte presença da arquitetura romana. Portanto, o prédio do Palácio da cultura é prova concreta de que a arte greco-romana (Clássica)deixou forte influencia em nosso querido Rio Grande do Norte.

...

Outros prédios em Natal que também revelam caracteres desse período:
Resultado de imagem para arquitetura classica natal rn
Teatro Alberto Maranhão
Imagem relacionada
A casa onde viveu o folclorista Câmara Cascudo.
Resultado de imagem para arquitetura classica palacio da cultura natal rn
Mesmo com alguns elementos do barroco, o prédio da prefeitura municipal tem traços evidentes da arquitetura clássica.
Resultado de imagem para arquitetura classica palacio da cultura natal rn
Instituto histórico e geográfico.
Imagem relacionada
Capitania das Artes
Resultado de imagem para arquitetura classica palacio da cultura natal rn
Memorial Câmara Cascudo
Imagem relacionada
Casa do Estudante.

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Bombril do Interior: Mil e uma utilidades Categoria (Crônica)

Por: Vinicius Rocha


A imagem pode conter: 1 pessoa
Rotina, repetição, costumes habituais. Em uma cidade grande já se torna chato e cansativo, quanto mais em uma cidade com pouco mais de 11 mil habitantes. Apesar disso, ainda existem coisas nela que podem quebrar uma porcentagem da chatice. Em Lajes, carinhosamente do Cabugi, talvez não haja coisas esplendorosas no seu julgo, caro leitor, mas tem alguns ambientes que ajudam a sair da velha monotonia. Seja para convivência familiar, para rolés, para um lanche no fim da tarde, ou para um jantar demorado, ou ainda apenas para encontros casuais, você escolhe! Ela continua sempre lá, receptiva, de braços abertos a te esperar.
Você já deve estar curioso pra saber de onde estou falando. Espero que não seja um gato pra morrer de curiosidade! Refiro-me a chamada praça central, a Praça Coronel Manoel Januário Cabral. Por sua centralidade, não só rima as palavras do seu nome, rima e harmoniza-se com vários outros estabelecimentos da cidade. Correio, Farmácia, Prefeitura, Câmara, União Caixeiral, Estação ferroviária, até a Casa de Cultura Popular troca olhares de cumprimento com essa praça.
A bendita até de casamenteira já pagou! Testemunha comigo minha prima, que dava umas escapulidas de casa dizendo que iria passear, quando na verdade estava de love com seu atual marido. E eu tinha que acobertar, viu? Tem cabimento um negócio desse?! Claro que não, no entanto, a gente ajuda!
Assim como eu, a Praça do senhor Januário acobertou e serviu de apoio para muita coisa também. Foi parada para a Tocha Olímpica, arena de Carnaval por muitos anos, e nesse sentido era uma coisa linda! Falo porque passei muitos dos seus carnavais e eu presenciava admirado toda a transformação. No céu, muitas fitas coloridas, no chão, muita gente colorindo sorrisos diversos, rostos cheios de diversão, como se fosse o último carnaval de suas vidas. Espetáculo invejável de felicidade. E só pra constar, brigas ocorriam raramente, característica que infelizmente não permaneceu intacta.
Hoje em dia tem bingo, missa, culto, seresta e o “dim-dim, dom-dom-dooomm”, que era a sequência musical característica dos comícios políticos anunciando o período eleitoral.
Já falei que ela tem uma quadra de esportes? A mesma foi palco de várias modalidades esportivas, desde a famosa peladinha nas tardes de domingo até competições entre escolas. De cinema também se vestiu e teve em sua passarela de piche um público sedento por novidade, ansiando eventos para sair de casa, dispostos a enfrentar o frio e ventania das noites lajenses por uma pitada de heterogeneidade.
Particularmente, passo pela praça – várias praças, por sinal, contudo essa é especial – quase todos os dias a caminho da escola, ao ir pro Grupo de Escoteiros, e para visitar vovó. Ao passar, sempre a movimentação cativa minha observação. Pessoas embarcando e desembarcando em ônibus, gente lanchando, jogando, senhoras e moças na academia comunitária, pessoas assistindo jogo que só passa na TV a cabo, até na copa do mundo ela marcou presença. E esse ano ganhou uma nova função, será campo para o Festival Literário daqui, a FLILAJES – currículo cheio, ela não perde tempo!
Depois de falar tudo isso, dessa “faz tudo” do meu município, você deve estar encantado ou no mínimo perdido em tanta informação. Mas uma coisa deve estar pensando: é um ótimo lugar! Caso esteja achando, você está certo! Caso não, só vindo para ver com seus próprios olhos.
Sabe que quem não tem cão, caça com – ou como – gato, então perceberá que indubitavelmente em cidade que não tem muitos ambientes específicos, praça vira a casaca, praça vira Bombril!

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Lendas de Pedra - Filme completo - Eloy Cia Teatral 2016

A Eloy Cia Teatral disponibilizou o filme Lendas de Pedra na integra e sem cortes para todos que acompanham seu trabalho. Esse filme é uma produção cinematográfica de caráter experimental elaborada a partir da pesquisa no livro Lendas de Pedra de escritora Vitoria Silva Paiva que relata alguns mitos e lendas da cidade de Lajes no interior do Rio Grande do Norte.
Embora o filme tenha sido gravado com recursos mínimos e básicos, não deixa de ser um projeto ousado que fez da Eloy Cia Teatral um grupo de teatro escolar que busca produzir cada vez mais em favor a arte-educação. Fábio Fernandes, atua como professor orientador e diretor desse projeto e busca a apreciação e visibilidade para a arte na perspectiva escolar através do fomento a arte e suas linguagens. 

Confira o filme na integra:

LENDAS DE PEDRA

Caboclo é um homem simples e rude que leva uma vida monótona em meio ao sertão, certo dia ele é surpreendido com a aparição de uma moça  misteriosa  que lhe pede um espelho de presente, reza a lenda que depois que é  presenteada o homem morre. Essa aparição vai transformar a vida de Caboclo num grande dilema. Do mesmo modo seu amigo Jonas possui a vaca Esqueleta na qual tem muito apreço, devido o sumiço da novilha Jonas promete uma caixa de velas benzidas às almas dos vaqueiros, que logo fazem Esqueleta reaparecer misteriosamente. Os dias passam e as almas aparecem com frequência à Jonas cobrando o prometido, é aí que os destinos de Jonas e Caboclo se enlaçam, pois as almas persistem em manter diálogo com os vivos.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Dicas de editais para artistas em 2017


Artistas (Escritores, Músicos e Cineastas), acompanhem os seguintes editais:

- Escritores - Prêmio Sesc de Literatura - prazo: 17/02/17 - http://www.sesc.com.br/portal/site/premiosesc/Edital/

- Músicos (Bandas e Fanfarras) - Brasil Open 2017 - prazo: 20/02/17 - http://www.a12.com/…/institucio…/detalhes/open-brasil-bandas

- Audiovisual - Curtas Documentais - prazo: 03/02/2017 - http://www.futura.org.br/…/inscricoes-abertas-curtas-docum…/

- Audiovisual - propostas de desenvolvimento de projetos de obras audiovisuais seriadas e não seriadas de longa-metragem e de formatos de obra audiovisual. (Ancine) - prazo 16/02/17 - 


Boa Sorte!
Alessandra Velho - Coach de Artistas - www.alessandravelho.com.br

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

[OPINIÃO] - O mi-mi-mi cinza para João Dória

Realmente algo que nos embrutece é perceber as mentes retrogradas de alguns dos nossos representantes públicos estarem no comando em constante solidez. É o caso de João Dória diante da prefeitura de São Paulo. O atual prefeito está realizando uma atitude "nefasta' no que diz respeito a arte urbana paulista, o ato de cobrir de cinza manifestações artísticas em forma de grafitte faz qualquer artista sentir-se triste. Porém o que busco falar aqui é apenas um ponto em que vejo necessário além do fazer artístico, mas o de enxertar na mente das pessoas a consciência política, uma vez que necessitamos eleger pessoas que preservem o bem comum e não apenas voltar seu olhar para as elites.
Resultado de imagem para doria pinta de cinza
 Nas redes sociais o que mais se comenta é o "acinzentamento" de São Paulo. Lamentável isso, mas foi a própria democracia que gerou esse descontentamento cotidiano, se tem algo que é comum no perfil do brasileiro é de "reclamar sempre o leite derramado", antes de eleger o cacique Dória, o eleitor paulistano já sabia quais interesses o  perfil de sua gestão iria beneficiar, portanto deixemos de  "mi-mi-mi" e venhamos usar as redes sociais para tentar mais uma centena de vezes fazer com que nosso colega altamente "zumbizado" pela mídia a sair de sua zona de conforto e venha pelo menos desligar a TV. 

Nesse video expresso minha singela opinião:
  


terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Morre o artista plástico potiguar Dorian Gray


Na noite de (23/01/17) o artista plástico Dorian Gray Caldas morreu vítima de um infarte fulminante. 
Dorian Gray Caldas nasceu em 16 de Fevereiro de 1930 na cidade de Natal-RN. É um consagrado artista potiguar que expressa sua arte em diversas plataformas artísticas, tais como: Escultura, cerâmica, tapeçaria, desenho, poesia e escritos.
Dorian estreou na arte em 1950, junto com os primeiros e grandes amigos Newton Navarro e Ivon Rodrigues, no 1º Salão de Arte Moderna de Natal. Seu primeiro livro se deu 11 anos depois, em 1961, intitulado “Instrumento de Sonho”.
Ele atuou como assessor da secretaria estadual da cultura do Rio Grande do Norte (1967-1968) e da Fundação José Augusto (1974) e foi diretor do Teatro Alberto Maranhão (1967-1968). Em 1989 publicou o livro 'Artes Plásticas do Rio Grande do Norte 1920—1989'.

FONTE
http://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/2017/01/morre-o-artista-plastico-potiguar-dorian-gray-aos-86-anos.html
http://www.nominuto.com/noticias/ciencia-e-saude/dorian-gray-caldas-doutor-em-arte/25755/

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Lendas de Pedra - Final (Eloy CIA Teatral)

Enfim, o ultimo episódio de "Lendas de Pedra". Eu como diretor desse filme experimental, me senti honrado com a força de vontade dos atores em poder jogar com o cinema. Deixo aqui minha gratidão aos que apoiaram e contribuíram direto ou indiretamente na realização desse trabalho. Agora é a sua vez de conferir a conclusão desse trabalho!



LENDAS DE PEDRA 

Episodio#4 (FINAL)

Jonas encontra Caboclo caído no caminho, eles conversam sobre o que estão vivendo no momento. As almas estão dispostas a acertar suas contas e esperam o agricultor no caminho das pedras, porém as almas do bem lideradas por Bonança aparecem no caminho pra interceder e apaziguar as coisas.

domingo, 1 de janeiro de 2017

Arte potiguar- Curtametragem "Três Vezes Maria".

Pra quem gosta de valorizar a produção artística potiguar, eis que vai mais um trabalho muito interessante do nosso áudio-visual. O curta Três vezes Maria. Vale a pena conferir.
 O filme foi dirigido por Marcia Lohss e tem no elenco Antonia Delgado, Luana Menezes, Priscilla Vilela, Arlindo Bezerra, George Holanda, Marcio França e outros artistas consagrados no cenário natalense e potiguar.

 Maria Dolores que todos chamam de Dorinha, Maria Aparecida que é conhecida por Cida e Maria Apolônia, a fogosa Paloma, vivem e trabalham no Cabaré do Onório em Santo Antônio do Salto da Onça, uma cidade do interior do RN. Após a morte da cafetina, dona do cabaré, Onório se vê no desafio de administrar o prostíbulo herdado que vive um momento difícil. Na noite da reinauguração do cabaré, as Marias terão que tirar força da amizade entre elas, para suportar a dor neste lugar onde não há espaço para lágrimas.

Confira :



Um pouco de Paul Gauguim.

Por : Fábio Fernandes
Imagem relacionada
Nestes dias , lendo sobre grandes mestres que revolucionaram a história da arte mundial me vi frente à Paul Gauguim. Muito me impressionou, sua pre-disposição à produção artística como elemento de sustentação cotidiana e também de experimento rumo ao novo contexto que a arte lhe conduzira, uma vez que este artista começa a ter contato com o mundo das artes propriamente dito no limiar de seus 25 anos, mais precisamente em 1873, ( período em que  casou-se com uma mulher dinamarquesa chamada Mette Sophie Gad, com quem teve 5 filhos. Após romper o casamento Gauguim deixou a Dinamarca e a família, retornando à França para se dedicar a vida artística.
Resultado de imagem para obras de paul gauguin 
"Mulher com uma flor" (1891)

Resultado de imagem para obras de paul gauguin
"Quando você vai se casar?" (Nafea faa Ipoipo?) (1892)

Outra característica que evidencia Gauguim como um artista além do seu tempo, foi a conexão estabelecida entre a Europa e a América do Sul. Suas viagens  frequentes ao Perú, revela um homem apegado as suas raízes, uma vez que sua infância foi marcada no continente americano e pelo fato de sua mãe ser peruana. Sem sombra de dúvida esses laços o cativaram a manter a relação França -Perú muito latente.

Como muitos artistas, sua vida cotidiana foi marcada por grandes conflitos familiares, o que de certo modo, ajuda a tornar sua importância ainda maior, visto que os conflitos deliberam um certo valor ao artista e consequentemente reverbera em sua obra, podemos citar por exemplo a vida conturbada de Pollock que re-descobre seu estilo através de muitas tentativas de manter uma arte atual com seu tempo ou até mesmo o proprio Van Gog que foi contemporâneo de Paul Gauguin, este tambem tinha dilemas e conflitos constantes em seu trajeto vital como o fato de cortar sua orelha ao saber que Paul o deixou . Vale salientar que Gauguin sofre muito ao saber que sua filha Aline morreu em 1897 de pneumonia, isso o leva a se sentir culpado por ter de certo modo "abandonado" a família pra viver no Taiti, vindo portanto a tentar o suicídio com doses de arsênico.
Resultado de imagem para obras de paul gauguin
"Mulheres de Taiti" (1891)

No Taiti, Paul Gauguin descobre sua verdadeira essência artística, vislumbra nos nativos sua identidade e desmistifica a supremacia europeia na produção artística. É o caso de "Arearea" que revela duas jovens sentadas embaixo de uma árvore, enquanto outras estão em pé há uma certa distancia próximo a estatua de Hina, a deusa taitiana que representa a lua, uma mulher toca uma flauta e a outra encara serenamente o observador, o ponto de ruptura nesse quadro se dá pelo cachorro vermelho cuja presença no quadro tem sido sugerida por alguns críticos como a representação do mal . 
Arearea, por Paul Gauguin.jpg
"Arearea" (1892)

Um forte exemplo desse formato europeu das coisas está evidenciado no quadro "Manao Tupapau" ( O Espirito dos mortos Vigiando) de 1892 quando Gauguim transfere a imagem do fantasma relacionado ao folclore taitiano, deixando de lado ao ideal colonialista europeu, o pintor também faz referencia à Edouard Monet,no qual teve grande influencia em sua formação artística.
Resultado de imagem para obras de paul gauguin manao
"Manao Tupapau" ( O Espirito dos mortos Vigiando) 1892
Resultado de imagem para obras de paul gauguin


Gauguin tambem se expressa no auto-retrato, se colocando dentro de sua obra provavelmente na intenção de mostrar-se parte integrante de sua criação artística. 

 Resultado de imagem para obras de paul gauguin autoretrato
Resultado de imagem para obras de paul gauguin autoretrato

O mais importante é saber que esse grande artista pós-impressionista vale muito a pena ser lido, visto, pesquisado e sem dúvida faz grande diferença em quem vislumbra ou remete pesquisas em artes.