quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Colunista do Yahoo fala sobre o Funknejo.

.Por Dafne Sampaio

Bastardo é a mãe

Misturar ritmos diferentes em uma mesma música não é novidade nem aqui e nem na China. Não é coisa dos dias de hoje e exatamente por isso já foi chamado por vários nomes, de ‘mash mixed’ a ‘bastard pop’, de ‘crossover’ a ‘mashup’. Mas é deste último jeito, em inglês mesmo, que essa mistura ficou conhecida no mundo todo. E é um tanto diferente do bom e velho remix, seu meio-irmão. Enquanto no remix uma música ganha novas roupagens a partir de intervenções de batidas e efeitos criados por DJs e produtores, o mashup é o encontro-colisão de duas músicas já existentes, de preferência o vocal de uma com o instrumental de outra.

Quando ainda não existia asfalto para chegar aos mashups, as misturas eram feitas ao vivo, com instrumentos, na raça mesmo. Mas a partir dos anos 1980, e mais radicalmente nos anos 2000, inúmeras ferramentas tecnológicas deixaram tudo mais acessível. E assim surgiram os primeiros fenômenos pop do gênero, com destaque para The Grey Album (2004), no qual o produtor Danger Mouse liquidificou Beatles (The White Álbum, 1968) e Jay-Z (The Black Album, 2003), e Collision Course (2004) com uma mescla de Linkin Park e Jay-Z feita pelos próprios. O poderoso rapper e maridão de Beyoncé, aliás, é figura fácil nos mashups e mais recentemente foi co-protagonista de Jaydiohead (2009), uma mistura feita pelo produtor Max Tannone de suas rimas com os instrumentais do Radiohead.

E o que isso tem a ver com o Brasil? É que fiquei sabendo que uma coisa chamada “Sou Foda 2” tinha sido feita e era nada menos que uma nova versão de “Sou Foda”, hit malicioso assinado pelos jovens funkeiros do Avassaladores que agora ganhou o apoio da dupla neosertaneja Cácio & Marcos. Nada disso havia me preparado para a música que saiu daquele vídeo e muito menos para o termo ‘funknejo’. Alguns podem achar que “Sou Foda 2” é um crossover, mas eu acho sinceramente que é um mashup “ao vivo”.

Ainda não sei muito bem o que pensar disso. É muito bizarro? É o futuro? Uma coisa não tem nada a ver com a outra? A verdade é que a nova geração que tem revitalizado comercialmente a música sertaneja é a mesma que, ao invés de criar novas canções, apenas recria hits de outros gêneros a seu modo (“Minha Mulher Não Deixa Não” é um das mais disseminadas).Resultado? O feitiço pode muito bem se virar contra os feiticeiros.

Porque essa coisa de misturar, como diria o sábio e saudoso Vicente Matheus, é “uma faca de dois legumes”. Às vezes funciona, noutras desanda. Por exemplo, o pioneiro da cena mashup nacional é o carioca João Brasil que em 2010 se meteu no ousadíssimo projeto “365 mashups”. (Isso mesmo! Um por dia!) Ninguém no mundo tentou isso – e muito menos com tantas referências e artistas diferentes – e João Brasil saiu-se muito bem, mesmo com alguns escorregões aqui e acolá. Impossível, em um projeto desse tamanho, chegar ao 100% de aproveitamento. De qualquer forma, quinze dias atrás Brasil reuniu Guilherme de Arantes com Gaiola das Popozudas no divertido “Charme de Dar” e a alquimia funcionou.

Outro artista brasileiro dos mashups e remixes, o enigmático DJ Cremoso vem fazendo fama ao pegar sucessos internacionais dos anos 1980 para cá – de Nirvana a R.E.M., de Major Lazer a Joy Division etc. – com o objetivo de mergulhá-los no caldeirão do tecnobrega. Já o pessoal da festa Criolina fez um bando de europeus sacolejarem ao som de mashups como “Mosca na Cerveja” (Raul Seixas vs. Chico Science & Nação Zumbi), “Nega do Bebo Sim” (Elizeth Cardoso vs. Marcelo D2) e “Manos e Molhados” (Racionais MCs vs. Secos & Molhados). Bastardos ou não, o que é brega hoje pode ser cult amanhã, e o que é cult hoje pode ser datado ou esquecido depois de amanhã. Só o tempo para julgar se experiências assim sobrevivem e se a posição da rã é um lance e não um romance.



Fonte
http://colunistas.yahoo.net/posts/13050.html


2 comentários:

Andre disse...

A lista das 100 músicas sertanejas mais procuradas no Brasil está causando polêmica. Também pudera! Procurando refletir a realidade das ruas, da galera que ama sertanejo universitário e do ritmo das baladas, Carlos e Jader desbancam Luan Santana no 1º lugar com sua música "Sou Foda"... isso mostra mudanças radicais no cenário sertanejo!! Confira matéria abaixo:

Surpresa no cenário sertanejo!!! Carlos e Jader desbancam Luan Santana no 1º lugar da lista das 100 músicas mais procuradas no Brasil. Novidade também são outros artistas que estão fazendo sertanejo universitário com letras de funk como Janderson & Anderson (Pentada Violenta) e Vitor Hugo e Daniel (Você Você Você Quer) e estão incluídos nesta lista também.

01 - Carlos e Jader - Sou Foda
02 - Luan Santana - Amar não é Pecado
03 - João Bosco & Vinícius Part. Jorge & Mateus - Abelha
04 - Vitor Hugo e Daniel - Você Você Você Voce quer
05 - Fernando & Sorocaba - Pega Eu
06 - Gustavo Lima - Balada
07 - João Neto & Frederico - Tá combinado
08 - Marcos & Belutti - Dupla solidão
09 - Michel Teló - Ai seu te pego
10 - Luan Santana- As lembranças vão na mala
11 - Maria Cecília & Rodolfo - 3 palavras
12 - Paula Fernandes & Victor Léo - Não Precisa
13 - João Carreiro & Capataz - Xique e bacanizado
14 - Guilherme & Santiago - Predadora
15 - Janderson e Anderson - Pentada Violenta
(...)

Você pode conferir esta lista na íntegra no site Sucesso Sertanejo Pop: www.sucessosertanejopop.com.br

Fábinho Fernandes disse...

Obrigado por comentar!