quarta-feira, 9 de março de 2011

As Cinzas Poéticas

Eis duas poesias dedicadas a quarta feira de cinzas, uma de um amigo que não conheço pessoalmente, mas que escreve divinamente suas visões cotidianas. Falo de Ozeias Alves do blog "Heroinas", este descreve de maneira ímpar sua visão poetizada da quarta feira de cinzas em "Todo Cinza".O outro é também um amigo que sempre aparece por aqui, falo do paraibano Mauricio Alexandre do blog "Sentimento das Horas", ele descreve em "Cinzas do Dito Carnaval" uma lembrança do que havia no periodo carnavalesco. Confira as duas versões poéticas de uma mesma idéia.

Todo Cinza

Sou carnaval
e o meu peito é a terra
onde samba o coração
fantasiado de amor
embriagado de felicidade
mas então o samba cessa
a ressaca vem
e a fantasia rasga
só nos resta a lembrança.

E os confetes se foram
estão varridos
os risos se perderam
os abraços marcaram
findou-se o carnaval
a quarta é de cinzas
e eu sou todo ela.
...

Cinzas do Dito Carnaval

é. tinha frevo, bloco e batuque
serpentina, confete, festa e cordão
a colombina, rei momo e o malandro
e o truque de quem se perdeu na multidão

na quarta a carne enfraqueceu
o que era fogo, agora é cinzas
vai, toca só mais um samba ai, seu!!


é que quinta volta tudo ao normal
ela moça tímida, ele velho ranzinza
e o que lhe restou?
as cinzas do dito carnaval.

...



Um comentário:

Plínio disse...

Nossa... Gostei do poema do parceiro aí.
Agradeço por demais, caro Fábio, por ler meu blog e divulgá-lo.
Abraço