quarta-feira, 2 de março de 2011

Hoje A Lua Me Seguiu ( Lidiane BlanchetT)

Não era escuro nem nada.

Nem muito tarde, nem muito

cedo. Via-se pingos de gente

nas calçadas aqui e acolá.

Ainda assim, ela se atreveu

a observar o meu percurso,

macia, como se já tivéssemos

combinado uma rendição.

Pensei rápido, antes de

apressar o passo:

Até que não seria má ideia.

Diferente de outros dias, ela

estava frente a frente comigo.

Parecia que tinha a necessidade

de me contar algo inédito.

Dizem que ela é feita de queijo.

Talvez por isso estivéssemos

nos encarando.

Por que assim feito ela, um

rato tinha me roubado a metade.


4 comentários:

Lidiane disse...

Andei muito inspirada na composição desse poema. Abri mão da metáfora nesse dia, pelo menos no aspecto lua. Se eu tentasse descrever hoje é provável que não obtivesse êxito. Lindo poema, amo a encenação dessas palavras.

Mauricio Alexandre disse...

Que lindo Lidiane... sou seu fã muito intenso, muito toetico...

Fábio Luíz de Souza Fernandes disse...

Somos fãs da Li... muito intenso mesmo0!

Lidiane disse...

Brigada Rapazes. Também sou sua fã Mauricio. Fábio, nem se fala... adoro!